terça-feira, 9 de maio de 2017

A propósito do pensamento de Robert Reich


(Mensagem recebida)
Bom dia, bom dia, meu estonteado (e zangado) admirador, enfim, essa coisa de as nossas mentes comunicarem entre mim e si e entre si e mim, ainda não me convence, mas que ando por lá perto, (raio de vírgulas, xô), quase à guisa de acreditar, (quase, outro quase e mais vírgulas, que sina), vida, acreditar de fé e não de razão, não, vida, aquela canção (ão ão ão, raio de rima, bem que podia ser hã hã hã) já aqui estava, Jesus, Maria, não pode ser, não posso andar tão distraída, bem que o meu pensamento me alerta todos os domingos, e mais não digo, uff, que bom dia tão comprido, estava preocupada, que quer, sou assim e perdi os pontos finais, que se há-de fazer! Decidi, hoje (hoje que, sem me gabar, me sinto linda, jovial, encantadora, sensível e tudo o que há de mais brilhante: o meu talento não é um apêndice postiço, registe); hoje, sugiro-lhe, a leitura (continuada) de um blogue. Admirado?! Também eu, olha a novidade, também eu. Mas conhecer o urdido e multifacetado pensamento de Robert Reich (um, digo, o ideólogo da (dita) esquerda americana: "O tribalismo está a destruir a América"), até que pode ser interessante, nalgumas afirmações ele é brilhante (rimou, ups). Não tem opinião, não sabe, Santo Deus, Senhora de Fátima me apareça, olhos meus (ups)! Leia só, então, o que o Robert Reich escreveu (desejou) a propósito das últimas eleições presidenciais em França: "My humble advice to Macron: Don´t follow America". Que lhe parece, eu gosto, adiante. Está deliciado com a minha sugestão, não consegue (por mais que eu faça ou diga ou escreva) deixar de pensar em mim e quando olha o suave contorno de mim ele lhe parece um festim (mim, festim, ups) dos deuses. Céus, calma, acredito, sério, as nossas mentes - garanto que não estou a sonhar - comunicam entre si, digo, entre mim e si: beleza minha, engenho meu, amabilidade sua.
Disse.
Aditamento
Antes que me esqueça: Mr. Robert Reich vai estar em Portugal no próximo dia 11 deste mês de Maio. Que bom seria, digo eu que nunca me engano, que além do Papa e do Salvador Sobral também (rimou, ups) se falasse de Robert Reich em Portugal (xô, rima), que lhe parece? 

Sem comentários:

Enviar um comentário